A matriz

A matriz

Nascemos num sistema em que nossa vida, através de nossa matriz energética, é programada para atender a uma sequência lógica de acontecimentos e reações ao meio, de forma que sejamos peças úteis no mecanismo de controle ao qual estamos subordinados. Isso inclui o envelhecimento, as doenças, os acontecimentos em escala individual e coletiva, desde o dia em que somos concebidos até o dia em que deixamos o corpo físico. Essa programação prevalece sobre nossa vontade agindo através de nós enquanto permanecemos em estado de inconsciência, obedecendo aos comandos da matriz. Vivemos em modo automático até que algo nos faça despertar para a necessidade de nos libertar. Geralmente, isso não ocorre simplesmente pela vontade própria, mas pelo esgotamento do Ser depois de vivenciar ciclos repetitivos de sofrimento.

O que a maioria das pessoas não sabe é que essa programação pode ser modificada a qualquer momento e em qualquer escala e intensidade quando nos tornamos seres conscientes. É quando deixamos o piloto automático e assumimos a responsabilidade por nossa experiência terrena. Isso não significa ser possível controlar tudo, visto que somos parte de um todo, mas uma vez conscientes, podemos interferir no sistema modificando a nossa própria matriz, e ela reproduzirá nossa programação em colaboração à consciência suprema.

A matriz é a nossa base de dados individual e age como um equipamento de reprodução de imagem holográfica. Uma vez que você reprograme a amostra, a imagem refletida muda. Ou seja, a matriz pré-programada nos pertence, e podemos reprogramá-la para que ela reproduza em nossas vidas a programação que quisermos, e não a que nos foi imposta. O intuito é trocar os dados da matriz atual pelos da matriz divina, perfeita por natureza.

Apesar de estarmos num sistema de controle coletivo, ele só pode ser modificado de forma individual. Porém, cada ser humano que consegue reprogramar sua própria matriz a ponto de se aproximar ou alcançar o ponto zero, que se equipara à matriz divina de onde somos originados, essa mudança reverbera por todo o campo, e contribui para a alteração das demais matrizes individuais. Uma vez alcançada uma massa crítica, são possibilitadas as novas reprogramações em grandes escalas.

Nesse ponto frequencial coletivo atual, alcançamos uma grande massa crítica, e as informações estão disponíveis no campo energético global para aqueles que estejam certos de suas escolhas em expandir. Apesar de parecer algo mágico, o processo precisa da vontade e foco do seu observador no intuito de encontrar em si todas as crenças implantadas que fizeram dele um mero robô do sistema, compreendê-las e substituí-las por outras crenças, conhecimentos, hábitos, sentimentos alinhados com as mais altas frequências possíveis dentro da sua capacidade atual.

Uma vez alinhados com as frequências da expansão, pela lei do magnetismo, novas informações começarão a chegar por diversos meios, podendo ser através do sono, da intuição, de trocas energéticas com outros seres, telepatia, livros, mensagens de diversos tipos. Trata-se de um trabalho de reformulação que requer dedicação, permanência no presente, persistência e amor.

Não obstante, haverá momentos em que tudo parecerá perdido, sem sentido, sem saída, mas isso faz parte das características humanas e da resistência da própria matriz do sistema de controle, que reagirá de todas as formas para evitar sua reprogramação, já que isso significa a extinção do seu poder.

Mas há em cada ser humano uma chama, um tipo de cordão umbilical que mantém cada um ligado à Fonte divina o tempo todo. Porque na verdade, ela é a nossa real natureza. Esse cordão é inquebrável e inatingível. Só precisamos permitir que ele traga a recordação de quem realmente somos e nos oriente para os próximos passos em direção à expansão plena.

D.C.B

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *