A comparação da dor

A comparação da dor

Quando utilizamos uma cena de desgraça ou sofrimento como comparação com a situação de alguém que consideramos estar reclamando sem motivos, com intuito de mostrar que este não deveria reclamar por estar em melhor situação que o exemplo utilizado, estamos cometendo duas injustiças.

A primeira, julgar o sofrimento de alguém sem lançar mão de empatia e compaixão.

A segunda, por impor a essa pessoa sofrimento ainda maior, induzindo-lhe a sentir culpa pela infelicidade de outro, sem que ela nada tenha feito que contribuísse com tal cenário.

Não há dor maior do que aquela que cada um está sentindo naquele momento. Dores não são comparáveis e, portanto, não se julgam, sendo elas físicas ou não.

Somente um olhar empático faz de nós, seres humanos, instrumentos de cura.
Não viemos para julgar, viemos para amar.

D.C.B
Imagem: Pixabay

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Instagram
Facebook
Receba novidades por Email
×
×

Carrinho

%d blogueiros gostam disto: