Leis herméticas

Podemos mudar o que está fora de nós?

Nada do que existe está separado de nós. O que acontece fora é reflexo do que está dentro, da mesma forma que o que está fora, já manifestado, tem influência sobre nós, se assim permitirmos.

Por mais que estejamos atentos, conscientes do funcionamento universal, não estamos imunes à percepção do que acontece fora.
Isso porque a vida manifestada inclui as coletividades às quais pertencemos. E quanto mais envolvidos emocional e mentalmente com essas coletividades, mais elas nos influenciam de forma consciente e principalmente inconsciente.

A exemplo disso, basta que alguém dentro de casa adoeça gravemente, para que em pouco tempo todos os habitantes conectados por laços afetivos ou mentais, adoeçam também em algum nível, ainda que psicológico, até que aquela situação se modifique ou os membros se modifiquem individualmente.

Esse envolvimento fatalmente ocorrerá, a não ser que a nossa força interior esteja tão preenchida com a luz da consciência plena, que consigamos nos envolver numa bolha mental e vibracional, capaz de nos isolar e ainda emanar ao ambiente tal vibração. Isso está relacionado com o nosso estado de equilíbrio naquele momento.

Até mesmo almas mais elevadas em consciência não estão livres das oscilações vibracionais e polarizações momentâneas em algum grau.
Dessa forma, enquanto habitando este corpo físico, integramos o inconsciente coletivo de vários grupos: a família, o trabalho, o bairro, a cidade, o país, o planeta, e tantos outros possíveis.

Muitas vezes, somos absorvidos por eles e padecemos do caos ditado pela vibração predominante, a exemplo dos últimos acontecimentos a nível planetário. Outras vezes, conseguimos nos manter dentro do nosso padrão elevado e contribuímos para uma elevação deste coletivo e até mesmo a dissolução do caos.

O importante quando o caos coletivo nos envolve, é estarmos conscientes de que em algum momento algo irá mudar, já que os princípios universais garantem isso incondicionalmente. Mas enquanto a mudança não acontece, o que podemos fazer é aceitar que este coletivo é parte de nossa criação, e que ele tem algo a nos ensinar. Algo dentro de nós está vibrando tão forte, que o exterior não tem como não refletir isso.

Quando finalmente conseguimos vibrar diferente, o que está fora passa a refletir algo novo para a nossa percepção individual. O grande desafio é evitar dar poder àquilo que está manifestado fora, pois aquilo foi uma criação de estados de consciência anteriores a este. Ou seja, é apenas uma projeção.

Então, a grande pergunta é: podemos mudar o que está fora? A resposta é: enquanto houver a percepção de que existe um "fora", nada pode ser mudado. Nada é fora, nada é dentro, tudo é você.


Desafio deste tema:


Saber disso tudo não muda nada. O que muda é a real intenção de vivenciar uma transformação. Se você está preparado para isso, o próximo passo é descobrir COMO fazê-lo. Existem muitas formas.

Sugestão de atividade:


Pergunte todos ao seu Mestre Interior:

  • O que posso fazer para tornar o meu padrão vibracional mais forte que o padrão exterior?
  • O que eu posso fazer para modificar meu padrão vibracional, a fim de me libertar das influências dos padrões externos?
  • O que eu posso fazer para cessar as vibrações que me levam ao sofrimento?
  • Medite, busque, estude e aguarde as respostas.

Auxílio visual para compreensão do texto

Podemos mudar o que está fora de nós? 1
Podemos mudar o que está fora de nós? 2
Podemos mudar o que está fora de nós? 3
Podemos mudar o que está fora de nós? 4
Podemos mudar o que está fora de nós? 6
Podemos mudar o que está fora de nós? 6
Podemos mudar o que está fora de nós? 7
Podemos mudar o que está fora de nós? 8

Com amor,

Denise A.d.A


Outros posts que possam interessar:

Deus não está decidindo por você

Se você não está decidindo sua vida, alguém está fazendo isso por você. E esse alguém não é Deus.

Deus não está decidindo por você.


Quando se diz: "se Deus quiser", "Graças a Deus", no intuito de se fazer humilde diante de um Ser superior, está apenas trilhando o caminho mais fácil diante daquilo que não se acha capaz de controlar, e ainda, daquilo que não se buscou compreender.

São frases inconscientes de terceirização e ausência de responsabilidade sobre as próprias escolhas.
Deus não "quer" algo para você. Não é possível que algo ou alguém fora de você tenha controle sobre a forma como os princípios universais respondem à sua existência.

A Consciência Suprema é uma mente criadora ("O todo é mente"), e desenvolveu um sistema perfeito, que funciona sozinho a partir de um mecanismo movido pelas escolhas individuais de cada ser. Esse sistema compreende um conjunto de princípios universais que se complementam (princípios herméticos).

São esses os responsáveis pelo que se manifesta em suas experiências humanas através daquilo que você vibra, a partir de crenças, pensamentos, sentimentos e ações.

Mesmo que isso tenha sido imposto a você por um sistema de controle externo, tudo o que se manifesta em sua vida são reações ao que você é, ou melhor, se tornou no decorrer de sua existência.

E as coisas acontecem graças a você, sejam elas agradáveis ou não. Você pode continuar terceirizando a responsabilidade, ou pode assumi-la e fazer uma parceria consciente com a Consciência Suprema, ou o Mecanismo Universal, que respeita primordialmente o seu livre arbítrio.

Isso pode não dar a você o poder de controlar os acontecimentos, mas vai te dar a compreensão de que a vida é muito mais do que simplesmente um acaso, uma escolha de um ser superior que quer sua adoração ou um golpe de sorte.

A vida é mais que isso. Descubra e assuma seu poder.

D.C.B

Pare o pêndulo

Fluxo e refluxo, ataque e contra-ataque, ação e reação, esquerda e direita...
Enquanto não houver consciência, o pêndulo irá balançar com igual força e intensidade de um extremo ao outro.


Não é uma questão política. 
É uma questão de consciência coletiva.


Somente quando a consciência coletiva estiver alinhada com o amor, a paz, a aceitação, a honestidade, e tantas outras frequências condizentes com unicidade, somente então, haverá uma sociedade equilibrada e justa.


Isso começa em mim. Eu cuido da minha expansão consciencial, quebro paradigmas, elevo minhas vibrações, me transformo naquilo que quero ver se manifestar fora de mim. 
A soma de cada consciência individual é o resultado da realidade coletiva de uma egrégora, de um grupo, cidade, país, planeta. Nós somos todos Um.


Nós vivenciamos o que somos, não o que elegemos.
Pare o pêndulo dentro de você, e estará ajudando a frear o pêndulo coletivo. Porque o que está fora é como o que está dentro. 


D.C.B
Publicado originalmente em 12/09/2018, em minha página pessoal no Facebook
Rolar para o topo