autoconhecimento

Essa vida nunca se repetirá

Você é um ser único.
Você sempre existirá como alma experimentando outras vidas.
Mas exatamente como é, com essa personalidade, esse corpo, ambiente, essa vida nunca se repetirá.
Essa é uma oportunidade inigualável de experimentar a existência.

Tente não desperdiçá-la com excessivas distrações que te mantenham amortecido.
Filmes, jogos, redes sociais, entretenimentos diversos, podem ser ferramentas de alavancagem vibracional ou breve descanso da mente se usados com moderação. Mas você realmente poderá se ressentir ao fim dessa jornada, ao deixar a matéria, e descobrir que desperdiçou tanto tempo fugindo de si mesmo e da grande oportunidade de se autoconhecer, modelar sua própria realidade e dar pleno sentido a ela.

A ideia de ciclo reencarnatório linear pode dar a impressão de que há uma continuidade, e que você poderá ou deverá de alguma forma compensar o tempo perdido e as escolhas feitas nas próximas vidas. Mas não é assim que acontece.

Todas as vidas acontecem simultaneamente, e a linearidade tempo-espaço só existe nessa densidade material.
Fora dela, tudo está no presente. Suas várias existências não são continuações uma da outra, mas sim paralelas e independentes entre si, de acordo com suas escolhas temáticas de experimentação.

Ame essa existência como se fosse a única, e assim conseguirá fazer escolhas mais harmônicas com sua própria essência.

Não há uma carga histórica ou uma lista de erros a serem reparados.
Aquilo que algumas culturas ou religiões chamam de carmas, não são imposições de punições. Cada vida é uma folha em branco, onde sua principal missão é experimentar e expandir sua alma.
Nenhum humano nasceu para sofrer, mas para ter vida plena. Tome posse do seu direito de viver a partir dos anseios do seu coração.

Árvore do Amor
___A.D.A___

Imagem: Arquivo pessoal de viagem (Rio de Janeiro)

Acesso à biblioteca universal

Existe uma consciência suprema que não apenas está em tudo, mas é tudo, inclusive nós.

Embora aparentemente estejamos separados, somos um só ser. Temos uma pequena parte manifestada na matéria de forma individualizada, mas nossa maior parte permanece mergulhada no Todo.

Por isso, temos acesso integral a todas as informações que estão na biblioteca universal que inclui também o inconsciente coletivo. Muitas vezes, essas informações são bloqueadas quando passam pelo filtro da nossa mente e se deparam com nossos sistemas de crenças. Porém, quando elas conseguem transpor essa barreira, chegam até a consciência e nos ajudam a tomar decisões, compreender situações, ter ideias. A isso, chamamos de intuição, inspiração ou até canalização.

Quando interagimos com as pessoas presencialmente ou à distância, ou quando elas entram em nossas vidas, passamos a ter acesso direto ao seu campo informacional individual, se assim elas permitirem. Informações podem ser trocadas. Muitas sincronicidades podem ser notadas quando estamos atentos aos sinais.

Apesar de vivermos nossas individualidades e elas se comunicarem entre si, não existe separação real. Tudo é um oceano do qual somos parte inseparável, e no qual estamos submersos enquanto vivenciamos essa temporária experiência humana.

Por isso, precisamos nos lembrar que apenas uma pequena parte do que somos está vivenciando uma experiência física. Ela possui uma limitação devido às características próprias da matéria.

Mas a nossa parte maior está mergulhada no grande oceano de pura consciência. Ela é quem traz para dentro da nossa parte humana as informações do campo o tempo todo. Cabe a nós encontrar um meio de não bloquear essas informações.

Árvore do Amor - A.d.a

Não crer mais em “Deus” – A dissolução do eu e o nascimento de um Todo

Há uma profunda dor e uma incrível liberdade em não acreditar mais em "Deus".
A princípio, sente que não há ninguém cuidando de você, e isso te deixa desamparada. Mas também percebe que não há ninguém te julgando nem exigindo adoração como troca de favores.

Você também percebe que dessa forma não há um povo escolhido, nem pessoas escolhidas. Não há salvação nem condenação.

Você é a luz e a sombra do mundo e sua própria.

É só você com você mesma e sua consciência. Sua consciência com os princípios universais. Não há mistério ou magia. Há apenas uma verdade nua e crua.

Você está só e vazia. Mas você também está preenchida com o poder de escolha e responsabilidade plena.

E para escolher, você precisa compreender o mecanismo da vida. E isso te leva a buscar respostas. E essa busca te traz experiências que vão testar sua capacidade de permanecer na verdade ou voltar à ilusão.

A escolha é sempre sua. As consequências são sempre suas. Você é livre. Você é responsável. Você não espera por milagres. Você é o milagre. Você é nada, mas tudo passa a ser você.

A dor de estar humanamente limitada. A satisfação de permanecer na verdade. A não dualidade.

Já não há fora, nem dentro, tudo é uma coisa só. A dissolução do eu e o nascimento de um Todo. Indissolúvel, indivisível, total. A morte do eu, de Deus e o nascimento da Consciência e da Unicidade.

D.C.B

Nota da autora: Alguns textos são bastante pessoais, e remetem a minhas próprias reflexões internas e experiências pessoais que expresso de forma poética. Não visam impor verdades, mas somente expor as minhas verdades, parciais e individuais. Se elas estiverem alinhadas às suas, então aqui nos encontramos.

O passado não existe

O passado não existe. O que existe são memórias de experiências vividas. Memórias carregadas de emoções são vivas e estão acontecendo no agora. Por isso continuam sendo pontos de atração e criação inconsciente.

Acreditamos que aquelas memórias estão no passado, mas na verdade elas estão sendo vivenciadas repetidamente no agora. Pois não há diferença entre a emoção sentida por algo que acontece agora e algo que aconteceu antes.

Emoções são sempre o presente.

Mas para alcançar a paz e a cura é necessário limpar essas emoções. Caso contrário, elas vão continuar interferindo nas nossas criações e experiências atuais e futuras.

Portanto, o passado não existe de verdade quando retiramos as emoções dele.

Retirando as emoções, nós limpamos os registros desnecessários e ficamos livres para viver uma nova vida a partir de um ponto emocional limpo:

O ponto zero, onde só existe o agora, uma página em branco para se criar o que se necessita sem o peso de memórias de baixas frequências.

Existem muitas ferramentas que podem ajudar nessa limpeza.

Eu costumo utilizar algumas que me ajudam e servem como verdadeiro bálsamo diante dos momentos mais dolorosos do agora, e manifestações de traumas e emoções de vivências passadas. Entre elas estão o Reiki, o Ho-oponopono e o EFT.

Mas essas não são as únicas. Caso não as conheça ou não goste, encontre as suas e mova-se para um estado de criação mais consciente.

A.D.A

O passado não existe - árvore do amor

Silenciando as redes sociais

De tempos em tempos, precisamos fechar os olhos para todas fontes de informação externas, até mesmo aquelas que consideramos de alta qualidade, para permitir que nossa alma possa nos falar o que realmente precisamos saber.

Excesso de conteúdos nos desgastam. Que tal reduzirmos o consumo de informação e também produzir conteúdos somente quando houver uma inspiração real?

Estamos todos cansados de conteúdos sem alma

Estamos todos cansados de conteúdos sem alma, despejados aos montes nos feeds por conta de uma corrida pelo ouro digital, que é a tal da audiência, métricas, reconhecimento e tudo mais que nos afasta de nós mesmos.

O que podemos fazer para nos preservar da interferência negativa das redes:

  • Sair das redes sociais ou reduzir o tempo de permanência (nas configurações há recursos para programar um alerta quando atingir o tempo que você definir)
  • Silenciar perfis que publicam em excesso
  • Silenciar perfis cujo conteúdo cause emoções negativas (pessoas que divulgam estatísticas, que criticam, se vitimizam, que divulgam notícias das mídias de massa (tv), política, qualquer coisa que nos cause desconforto, tristeza ou raiva.

Isso sem contar outras fontes de absorção de conteúdo externo. Nós somos parte daquilo que consumimos.

E depois disso, nos acolher no silêncio mental e emocional, permitindo que a Fonte nos traga a inspiração para seguir adiante com sabedoria e paz.

Amor seletivo e o colapso planetário

Nós, seres humanos, temos por hábito amar seletivamente. Dizemos amar a humanidade, mas escolhemos amar apenas a alguns seres humanos enquanto ignoramos ou odiamos outros. Dizemos amar os animais enquanto protegemos alguns e comemos outros.

Não somos seres que amam. Somos seres que direcionam o respeito, afeto e compaixão somente a quem é conveniente. E isso não é amor. Pode ser qualquer outra coisa: apego, emotividade, exploração, dependência, egoísmo, mas não amor.

Fomos ensinados a viver a separação como se disso dependesse nossa sobrevivência. E quanto mais vivemos essa separacão, mais enfraquecemos como indivíduos, como coletivo e como partes de um único organismo vivo que está em colapso: o planeta.

Amor real não é uma emoção, é um estado de consciência que gera ações individuais em prol do todo. Por isso, amor verdadeiro unifica e não segmenta.

É direito de cada um escolher, mas apenas uma escolha contribui para um mundo onde a humanidade poderá não apenas continuar existindo fisicamente, mas ter vida plena em comunhão com todos os outros seres.

Já não há tempo.

Lembre-se de quem você é

Quando dizemos que você não veio para evoluir, mas apenas se lembrar que você é, significa que essa lembrança não virá como memórias da mente humana. Não virá como recordação de fatos, momentos vividos ou vidas passadas.

Virá como um "sentimento" de unidade. Um sentimento de que tudo o que existe não está separado, mas é uma extensão de você. E a partir desse momento sua vida já não será comum. Será impossível viver como se nada ao seu redor fosse sua responsabilidade.

Portanto, recordar-se é sentir que não há separação entre você e o mundo, as pessoas e a existência.

Quando você se "recordar", até mesmo sua alimentação, o seu vestir e agir serão manifestações de profundo amor pela vida como um todo. Você não terá dúvidas, não terá medo, terá apenas a inspiração de ser no mundo a manifestação da unicidade.

Não espere que essa consciência venha de um nível mental, tradicional, óbvio, para então se sentir agente de um novo mundo. Conecte-se com o improvável, o invisível, o inexplicável. Pois nada de novo virá da mente física. Ela só trabalha com o que é conhecido.

Mas a recordação da unicidade vem da alma. E ela só é acessada através da não-mente. Silencie, observe e sinta.

D.C.B

lembre-se de quem você é

Expansão consciente ou inconsciente?

Quando você opta pela expansão de consciência, a vida vai te trazer situações que irão destruir tudo aquilo que você não é. Essas situações muitas vezes chegarão como açoites e causarão uma percepção de dor ou sofrimento.

Isso se repetirá até que cada ilusão que você tem sobre a vida seja eliminada. Nesse momento você retorna ao ponto zero. O ponto onde você se torna a própria manifestação da consciência universal.

Portanto, se você optou pelo caminho da consciência, abra-se o quanto antes para o campo das infinitas possibilidades, quebre seus paradigmas, quebre a sua auto-imagem, abandone a bagagem histórica do seu personagem.

Entenda que a vida vai doer de qualquer forma, mas a consciência transcende o sofrimento. Para aqueles que optam por expandir, o processo será acelerado. As situações propulsoras da limpeza virão como avalanches. Isso pode causar medo e paralisação. Mas optar por não expandir trará ainda mais percepção de dor.

Portanto, a expansão não é uma opção, é uma lei. Porém, quando você decide pela expansão conscientemente, está tomando posse do seu poder de criador e contribuindo com o Plano Maior de forma voluntária.

Portanto, a expansão não é uma opção, é uma lei. Porém, quando você decide pela expansão conscientemente, está tomando posse do seu poder de criador e contribuindo com o Plano Maior de forma voluntária.

Nós não viemos para sofrer, viemos para vivenciar a experiência humana de forma plena. Mas isso requer coragem, amor e entrega ao milagre da existência.

D.C.B

A percepção da dor

Enquanto você se agarrar ao que não é permanente, ao que reflete apenas as manifestações do seu ego, da identidade ilusória que você acredita ser, a vida vai doer.

Você poderá alcançar momentos de êxtase a partir do que é impermanente, mas dessa forma será lançado com a mesma intensidade para a polaridade inversa a ele. Isso inclui seus conhecimentos, seu corpo, suas conquistas, seus relacionamentos, bens, ideais, religião, valores... tudo aquilo que te leva a uma auto-imagem, mas não é você.

Então sua vida será esse vai e vem, esse pêndulo desgovernado que hora te leva ao céu, hora te leva ao inferno.

Mas quando você começar a vibrar alegre e harmoniosamente com aquilo que é permanente, imaterial, intangível, abrindo mão do apego a qualquer ideia, coisa ou pessoa, então você estará em fluxo com a vida em sua totalidade, de forma que não haverá mais percepção de dor, mas sim de que tudo está de acordo com a ordem universal da qual somos parte inseparável, e através da qual experienciamos a graça da existência.

DCB

Imagem: Pixabay

As chaves para a expansão

O caminho de expansão da consciência não faz de você um ser iluminado, caridoso e desapegado da matéria. Quanto mais sua consciência se expande, mais você se permite estar humano. Porém, um humano que conhece sua verdadeira natureza. Isso implica em amar a si próprio o suficiente para conseguir dizer não a determinadas situações ou pessoas para a própria autopreservação. Isso possivelmente acarretará no outro sentimentos de baixas frequências, e o fará sentir dores que lhe trarão a possibilidade de expandir também sua consciência. Porque toda dor é um sinal de que há algo a ser curado.

Nós estamos todos conectados, e aqueles que surgem em nosso caminho são mensageiros portadores das chaves que abrem as portas da expansão. Permita-se ser para o outro esse mensageiro, seguindo o seu coração a ponto de tomar decisões amorosas alinhadas com seu autoconhecimento e seus sentimentos em primeiro lugar. Porque se você não o fizer, estará alimentando um sistema cruel onde o ciclo da mentira permanece impedindo as pessoas de se lembrarem de quem são e por que vieram.

As suas escolhas, quando baseadas em regras externas aos seus sentimentos, abrem as portas para caminhos onde surgirão os mais diversos ensinamentos percebidos como dolorosos, até que consiga despertar e assim se alinhar com a sua essência.

D.C.B

Créditos da imagem: Pixabay

Rolar para o topo