inspiração

Você não precisa de motivação

Se alguém te disser: "Você precisa se desafiar", "Você precisa fazer esse sacrifício para provar a si mesmo que é bom", "Você precisa trabalhar enquanto eles dormem", cuidado.
Se alguém te disser isso, está falando de um ponto de vista contrário ao amor e à sabedoria Suprema.
Esse tipo de sugestão coloca você como seu próprio agressor.

Antes de tudo, você precisa se conectar com a Fonte amorosa e se recordar do seu real valor. Não há nada a provar a si mesmo nem aos outros. Não há nenhum sacrifício do corpo físico ou desrespeito dos próprios limites que te traga recompensas de alta vibração. No máximo, trarão sensações temporárias de entusiasmo e compensação momentânea, mas depois, tudo voltará ao ponto inicial, e você sentirá necessidade de buscar mais formas de se provar.

Somente a consciência amorosa sobre quem é você basta. Não coloque seu valor nas mãos de falsos mestres e de seus desafios. Eles não amam a si próprios, como poderiam te ensinar sobre o que é ser um vencedor?

Cuidado com os líderes motivacionais e seus conselhos de sucesso. Você não precisa de motivação, você precisa aprender a viver de acordo com a inspiração do seu mestre interior.

Você precisa saber quem você é e honrar os anseios de sua alma, escolhendo e agindo de acordo com sua essência, suas inspirações, seus amores, do que faz seu peito expandir.
Não há vitória na auto violência.
Lembre-se de Quem você É e viva a partir disso.

_A.D.A_

Árvore do Amor

Acesso à biblioteca universal

Existe uma consciência suprema que não apenas está em tudo, mas é tudo, inclusive nós.

Embora aparentemente estejamos separados, somos um só ser. Temos uma pequena parte manifestada na matéria de forma individualizada, mas nossa maior parte permanece mergulhada no Todo.

Por isso, temos acesso integral a todas as informações que estão na biblioteca universal que inclui também o inconsciente coletivo. Muitas vezes, essas informações são bloqueadas quando passam pelo filtro da nossa mente e se deparam com nossos sistemas de crenças. Porém, quando elas conseguem transpor essa barreira, chegam até a consciência e nos ajudam a tomar decisões, compreender situações, ter ideias. A isso, chamamos de intuição, inspiração ou até canalização.

Quando interagimos com as pessoas presencialmente ou à distância, ou quando elas entram em nossas vidas, passamos a ter acesso direto ao seu campo informacional individual, se assim elas permitirem. Informações podem ser trocadas. Muitas sincronicidades podem ser notadas quando estamos atentos aos sinais.

Apesar de vivermos nossas individualidades e elas se comunicarem entre si, não existe separação real. Tudo é um oceano do qual somos parte inseparável, e no qual estamos submersos enquanto vivenciamos essa temporária experiência humana.

Por isso, precisamos nos lembrar que apenas uma pequena parte do que somos está vivenciando uma experiência física. Ela possui uma limitação devido às características próprias da matéria.

Mas a nossa parte maior está mergulhada no grande oceano de pura consciência. Ela é quem traz para dentro da nossa parte humana as informações do campo o tempo todo. Cabe a nós encontrar um meio de não bloquear essas informações.

Árvore do Amor - A.d.a

Seja o vento

Tem épocas em que estamos sobrecarregados com acontecimentos dolorosos e inevitáveis da vida. Ainda que tenhamos plena consciência do que está acontecendo e da certeza da impermanência, nem sempre temos forças para sustentar nossa luz interior.

Nesses momentos, podemos nos alimentar (entre outras formas) da luz que as outras pessoas nos disponibilizam através de suas próprias alegrias, inspirações, amorosidade, atenção, palavras, atitudes que iluminam direta ou indiretamente o trecho escuro do caminho que percorremos.

Quando você sentir vontade do fundo do coração de expressar, fazer, compartilhar ou dizer algo belo e de valor, faça-o! Faça mesmo que através das redes sociais. A mensagem certamente chegará a quem precisa, mesmo que nenhuma manifestação ou reação sejam percebidas.

Aja por inspiração. Ações inspiradas são ventos que movem as velas de muitos barcos.

Seja o vento.

D.C.B

Seja o vento - Árvore do amor

Imagem: Pixabay

Aceitar não é concordar

Quando se fala em aceitar tudo como é, não significa concordar com tudo. Mas sim, permanecer em estado de paz e confiança, buscando uma conexão com a Fonte e aguardando que ela inspire em nós, no momento certo, uma ação que gere ou contribua com a mudança que ansiamos em relação a determinado assunto. Ou seja, uma ação inspirada e não reativa.

Para diferenciar uma ação inspirada de uma ação reativa, basta analisar que tipo de sentimento a motiva. Tal ação só será alinhada com a Fonte e trará os melhores resultados, se for baseada em sentimentos de altas frequências, como o amor, a compaixão, esperança, alegria entre outros. Mas se tal motivação surge como uma reação a algo que nos abala o ego, então ela é apenas uma atitude inconsciente cujos frutos terão a mesma frequência daquilo que se deseja combater.

D.C.B.

Créditos da imagem: Pixabay

Você é a pessoa certa no lugar certo

Das coisas que tenho aprendido.
Muitas vezes, quando optamos por expandir a consciência, aprendemos que os problemas se dissolvem por si, e que basta entregarmos ao universo para que isso ocorra. Então, lançamos mão de técnicas de limpeza como o ho-oponopono, orações, meditações, mantras e etc, e vamos vivendo da melhor forma possível, aguardando tranquilamente (só que não) que tudo se resolva. Mas nem sempre sabemos o quanto devemos esperar até que um problema se dissolva.
O fato é que as coisas não são assim tão simples de compreender.
Quando entregamos um problema para o universo, precisamos permanecer conectados com o nosso eu superior, porque muitas vezes (não sempre), a solução requer alguma ação de nossa parte. E então, chega um momento em que a energia fica estagnada aguardando essa ação para desencadear outras partes do processo.
Falando mais claramente, tem coisas que surgem em nosso caminho porque somos as únicas pessoas capazes executar determinada ação. E por mais que tentemos fugir, postergar ou nos omitir, somos parte ativa naquela solução.
Mas saber quando e como agir, isso é uma questão de alinhamento com o que chamo de Eu Superior.
Quando optamos por nos espiritualizar de forma real e profunda, tendemos a nos desconectar das questões relacionadas à matéria densa. Mas entendamos que se há uma pedra no nosso sapato, a melhor coisa a fazer é retirá-la. Se o sol está queimando a nossa pele, o melhor é buscar uma sombra. Onde há um incômodo, deve-se buscar o alívio.
Nós somos sempre a pessoa certa no lugar certo. É por isso que um policial deve agir diante de um crime, um médico deve agir diante de uma emergência, um professor deve orientar diante de uma ignorância. Eu digo "deve", porque eles têm a consciência de sua missão. Todos eles podem ser espiritualizados e estando diante de situações extremas, serem obrigados a tomar decisões e ações dolorosas ou difíceis. Porque ninguém, naquele momento, poderia fazer aquilo além deles. Porque eles eram parte ativa naquela solução e estavam ali para isso, mesmo que o resultado dessa ação não fosse o esperado pelos nossos critérios condicionados. Mas certamente terá sido o melhor resultado possível dentro das possibilidades e recursos disponíveis naquele momento. Podendo, por exemplo, a ação policial resultar num confronto, a ação médica resultar num óbito ou a ação do professor resultar numa afronta (não necessariamente nessa ordem). E ainda assim eles continuariam sendo as pessoas certas nos lugares certos, porque não se pode enxergar as coisas em sua totalidade a ponto de compreender que aquele resultado era parte de um plano maior. Isso se aplica a cada um de nós.
Somos totalmente responsáveis por tudo o que se apresenta diante de nós. Nada se manifesta sem que tenhamos atraído por magnetismo, acordos, planos de alma, missões ou carmas.
Agir ou aguardar depende de nossa sabedoria interior, da nossa entrega em relação à vida. Só precisamos ficar atentos às inspirações, intuições, sentimentos e impulsos naturais, e não baseados nos sentimentos de medo. Eles são guias.
O autoconhecimento, a autoconfiança e a auto-mestria são muito importantes para nos mantermos em equilíbrio diante de situações complexas. Quando estamos conectados com a fonte divina, não nos prendemos tanto aos resultados, pois descansamos na paz da entrega.
Viver é se entregar ao desconhecido e fluir.

D.C.B

Créditos da imagem: Pixabay

Rolar para o topo