sistema de crenças

O carma e o sistema de crenças

O que se conhece como carma tem mais a ver com o seu sistema de crenças do que com a lei da causa e efeito.

Porque pelo poder da mente, até mesmo os processos desencadeados pela lei da causa e efeito podem ser transmutados.

Mas a crença enraizada e inconsciente é como um rádio ligado num porão, emitindo uma vibração constante com efeito eletromagnético, e atraindo para si tudo o que lhe é semelhante.

A vibração ativa no agora é mais forte do que a ação realizada no passado. Porque o passado e a ação já não existem, embora tenham desdobrado reações e acontecimentos sequenciais naturalmente, mas o seu julgamento em relação ao que passou, ficou gravado no seu campo mental. E enquanto não for levado à consciência e reprogramado, continuará ativo trazendo para sua experiência o que você pode chamar de carma. Mas é apenas a sua própria criação.

_A.D.A_

Árvore do Amor

A consciência é uma escolha

Na atual configuração desta civilização humana, onde as informações são livremente transmitidas e acessadas, sejamos prudentes com nossas escolhas.

No campo que se refere à espiritualidade, torna-se ainda mais necessário saber discernir entre o verdadeiro e o falso. Isso porque a maioria de nós escolhe por afinidade de idéias, valores e sistema de crenças, e não por análise honesta e questionadora de fatos e informações.

Tendemos a crer como verdadeiras, afirmações e mensagens que confirmam algo em que já acreditamos, e assim, ignoramos ou refutamos informações que as contradizem.

Nossas escolhas sobre cada um dos assuntos são feitas, então, minuto a minuto, dia a dia, no decorrer de muitos anos, de forma que vamos nos embrenhando numa teia complexa de crenças que se auto-confirmam de acordo com aquilo que escolhemos acreditar. Teia forte o suficiente para nos manter presos em realidades paralelas às demais possibilidades e até mesmo longe da verdade.

Passamos a enxergar o mundo a partir daquela única perspectiva, e tendemos a julgar tudo e todos que não estejam de acordo com tal realidade interior.

Acreditamos estar exercendo o nosso livre arbítrio e vamos cada vez mais adentrando a profundeza da nossa própria realidade criada.

Estaria tudo perfeito se isso não gerasse possíveis consequências para nós mesmos, para a coletividade e o sistema planetário, dos quais somos parte inseparável.

Não vejamos isso com culpabilidade, mas sim como um convite para nos tornarmos conscientes de que somos integrantes de um Todo e temos responsabilidade sobre como exercemos nossa individualidade.
A consciência é uma escolha.

Com amor,

Denise via A.D.A

Rolar para o topo