unicidade

Não crer mais em “Deus” – A dissolução do eu e o nascimento de um Todo

Há uma profunda dor e uma incrível liberdade em não acreditar mais em "Deus".
A princípio, sente que não há ninguém cuidando de você, e isso te deixa desamparada. Mas também percebe que não há ninguém te julgando nem exigindo adoração como troca de favores.

Você também percebe que dessa forma não há um povo escolhido, nem pessoas escolhidas. Não há salvação nem condenação.

Você é a luz e a sombra do mundo e sua própria.

É só você com você mesma e sua consciência. Sua consciência com os princípios universais. Não há mistério ou magia. Há apenas uma verdade nua e crua.

Você está só e vazia. Mas você também está preenchida com o poder de escolha e responsabilidade plena.

E para escolher, você precisa compreender o mecanismo da vida. E isso te leva a buscar respostas. E essa busca te traz experiências que vão testar sua capacidade de permanecer na verdade ou voltar à ilusão.

A escolha é sempre sua. As consequências são sempre suas. Você é livre. Você é responsável. Você não espera por milagres. Você é o milagre. Você é nada, mas tudo passa a ser você.

A dor de estar humanamente limitada. A satisfação de permanecer na verdade. A não dualidade.

Já não há fora, nem dentro, tudo é uma coisa só. A dissolução do eu e o nascimento de um Todo. Indissolúvel, indivisível, total. A morte do eu, de Deus e o nascimento da Consciência e da Unicidade.

D.C.B

Nota da autora: Alguns textos são bastante pessoais, e remetem a minhas próprias reflexões internas e experiências pessoais que expresso de forma poética. Não visam impor verdades, mas somente expor as minhas verdades, parciais e individuais. Se elas estiverem alinhadas às suas, então aqui nos encontramos.

A consciência nos leva inevitavelmente à unicidade

A consciência nos leva inevitavelmente à unicidade.

Porém, quanto maior ela for, mais solitário se torna o indivíduo. Pois ele já não precisa do preenchimento com relações de troca.

Ele não precisa da sensação de pertencimento, nem de aprovação.

Não se sente só, pois tem o universo inteiro dentro de si. E no entanto, suas poucas relações são profundas, desapegadas e sinceras.

D.C.B via A.D.A

Ilustração: Denise Bruno

Lembre-se de quem você é

Quando dizemos que você não veio para evoluir, mas apenas se lembrar que você é, significa que essa lembrança não virá como memórias da mente humana. Não virá como recordação de fatos, momentos vividos ou vidas passadas.

Virá como um "sentimento" de unidade. Um sentimento de que tudo o que existe não está separado, mas é uma extensão de você. E a partir desse momento sua vida já não será comum. Será impossível viver como se nada ao seu redor fosse sua responsabilidade.

Portanto, recordar-se é sentir que não há separação entre você e o mundo, as pessoas e a existência.

Quando você se "recordar", até mesmo sua alimentação, o seu vestir e agir serão manifestações de profundo amor pela vida como um todo. Você não terá dúvidas, não terá medo, terá apenas a inspiração de ser no mundo a manifestação da unicidade.

Não espere que essa consciência venha de um nível mental, tradicional, óbvio, para então se sentir agente de um novo mundo. Conecte-se com o improvável, o invisível, o inexplicável. Pois nada de novo virá da mente física. Ela só trabalha com o que é conhecido.

Mas a recordação da unicidade vem da alma. E ela só é acessada através da não-mente. Silencie, observe e sinta.

D.C.B

lembre-se de quem você é

Consciência

Quando eu me expresso, o faço com base na consciência que eu sou. Quando você se expressa, o faz com base na consciência que você é. 


Cada consciência só compreende aquilo que lhe é familiar. Mas a consciência desperta aceita as demais consciências mesmo que não as compreenda. Ela não precisa estar de acordo, não precisa estar em desacordo, só precisa aceitar. 


E quando há aceitação, ambas as consciências se reencontram na unicidade que elas sempre foram. Nesse momento, apenas a Consciência Suprema se manifesta.


D.C.B
Publicado originalmente em 26/03/2018, em página pessoal no Facebook
Créditos de imagem: Pixabay
Rolar para o topo