Você é a pessoa certa no lugar certo

Você é a pessoa certa no lugar certo

Das coisas que tenho aprendido.
Muitas vezes, quando optamos por expandir a consciência, aprendemos que os problemas se dissolvem por si, e que basta entregarmos ao universo para que isso ocorra. Então, lançamos mão de técnicas de limpeza como o ho-oponopono, orações, meditações, mantras e etc, e vamos vivendo da melhor forma possível, aguardando tranquilamente (só que não) que tudo se resolva. Mas nem sempre sabemos o quanto devemos esperar até que um problema se dissolva.
O fato é que as coisas não são assim tão simples de compreender.
Quando entregamos um problema para o universo, precisamos permanecer conectados com o nosso eu superior, porque muitas vezes (não sempre), a solução requer alguma ação de nossa parte. E então, chega um momento em que a energia fica estagnada aguardando essa ação para desencadear outras partes do processo.
Falando mais claramente, tem coisas que surgem em nosso caminho porque somos as únicas pessoas capazes executar determinada ação. E por mais que tentemos fugir, postergar ou nos omitir, somos parte ativa naquela solução.
Mas saber quando e como agir, isso é uma questão de alinhamento com o que chamo de Eu Superior.
Quando optamos por nos espiritualizar de forma real e profunda, tendemos a nos desconectar das questões relacionadas à matéria densa. Mas entendamos que se há uma pedra no nosso sapato, a melhor coisa a fazer é retirá-la. Se o sol está queimando a nossa pele, o melhor é buscar uma sombra. Onde há um incômodo, deve-se buscar o alívio.
Nós somos sempre a pessoa certa no lugar certo. É por isso que um policial deve agir diante de um crime, um médico deve agir diante de uma emergência, um professor deve orientar diante de uma ignorância. Eu digo “deve”, porque eles têm a consciência de sua missão. Todos eles podem ser espiritualizados e estando diante de situações extremas, serem obrigados a tomar decisões e ações dolorosas ou difíceis. Porque ninguém, naquele momento, poderia fazer aquilo além deles. Porque eles eram parte ativa naquela solução e estavam ali para isso, mesmo que o resultado dessa ação não fosse o esperado pelos nossos critérios condicionados. Mas certamente terá sido o melhor resultado possível dentro das possibilidades e recursos disponíveis naquele momento. Podendo, por exemplo, a ação policial resultar num confronto, a ação médica resultar num óbito ou a ação do professor resultar numa afronta (não necessariamente nessa ordem). E ainda assim eles continuariam sendo as pessoas certas nos lugares certos, porque não se pode enxergar as coisas em sua totalidade a ponto de compreender que aquele resultado era parte de um plano maior. Isso se aplica a cada um de nós.
Somos totalmente responsáveis por tudo o que se apresenta diante de nós. Nada se manifesta sem que tenhamos atraído por magnetismo, acordos, planos de alma, missões ou carmas.
Agir ou aguardar depende de nossa sabedoria interior, da nossa entrega em relação à vida. Só precisamos ficar atentos às inspirações, intuições, sentimentos e impulsos naturais, e não baseados nos sentimentos de medo. Eles são guias.
O autoconhecimento, a autoconfiança e a auto-mestria são muito importantes para nos mantermos em equilíbrio diante de situações complexas. Quando estamos conectados com a fonte divina, não nos prendemos tanto aos resultados, pois descansamos na paz da entrega.
Viver é se entregar ao desconhecido e fluir.

D.C.B

Créditos da imagem: Pixabay

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Instagram
Facebook
Receba novidades por Email
×
×

Carrinho

%d blogueiros gostam disto: